Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


A CACIMBA DA SINHÁ NEDINA



A casinha de palha que a cacimba cobria
Era a proteção para as belas meninas
Que, ali, lavavam suas roupas mais finas
Para as festas de maio, a cantar de euforia.

Também era o local que o namoro encobria
Daquelas garotas que usavam boninas
No cabelo, sonhando que, agarrado às crinas
De um cavalo branco, um príncipe viria

Levá-las dali para um reino encantado.
Era o "canto dos sonhos" que lhes fora dado
Ou do qual se apossaram, ao seu modo - ao seu jeito,

Para, ali, sonharem, do mundo afastadas,
A pensar na vida como um conto de fadas
E nos olhos cinzentos de um belo sujeito.




Rosa Regis

Natal/RN
03 de fevereiro de 2010
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 04/02/2010
Alterado em 06/04/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.