Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


DA SILVA

DA SILVA

Eu sou da Silva, Doutor!
Um ”da silvazinho qualquer”?!
Não, não sou qualquer da Silva!
Sou um da Silva que quer
Mostrar que no meu Nordeste,
Terra de "cabra da peste",
Um da Silva vale o que quer!

Lá... na minha juventude,
Da Silva eu não era não!
Da Silva veio depois:
Quase que sem opção
De escolha, e Foi ficando...
E, como da silva estando,
Assino o meu jamegão.

E da Silva, Seu Doutor,
É uma marca nordestina!
O nordestino já tem
como "da Silva" uma sina.
Não adianta correr
Nem mesmo se debater,
Da Silva, a si se destina!

Pois, no percurso da vida,
Alguém, seja lá quem for
Da sua família, irá
Ter em seu nome, Doutor,
Um "da Silva" acrescentado.
E, aí, terá se tornado
Um "da Silva" sim Senhor!!


Natal/RN - 27.05.2007 - 14:00hs

Rosa Regis - Poetisa da ACCC-RN (Assoc. Cult. Casa do Cordel; ANLIC (Academia Norte-riograndense de Lit. de Cordel - presidente 2011-2014); ATRN (Acad. de Trovas do RN); MOVIMENTO POETAS DEL MUNDO; SPVA-RN (Soc. dos Poetas Vivos e Afins do RN) e UBE-RN (União Brasileira de Escritores do RN.
 
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 05/02/2010
Alterado em 07/09/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rosa Regis www.rosaregispoetisa.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.