Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


MEU GATINHO MOURISCO

MEU GATINHO MOURISCO

Já não ouço seu miado;
seu pedido de carinho;
o seu olhar dedicado;
seu ronronar delicado,
esfregando-se de mansinho.

Sua voz emudeceu
não mais à porta chamou.
Sumiu. Desapareceu!
E o meu ser se confrangeu,
pensando: Alguém o matou!

E tentando enganar-me,
fico a mim mesma, dizendo:
- Calma!... Ele vai voltar!
Deve estar a namorar,
o tempo não percebendo.

Mas... O tempo passa... passa...
E fico desesperada!

E mais um dia se passa.

... De repente!... Ouço um miado
bem alto! Desesperado!
E sinto-me relaxada...

É o meu gatinho!... Safado!!

Ele chega!... E está com fome.
Uma fome de leão!
Depois de passar três dias
sem nem dar satisfação.

Tão somente namorando.

E só agora chegando
E exigindo ração.



Rosa Regis

Natal/RN - Julho de 2002
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 25/09/2010
Alterado em 16/11/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.