Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


O POR DO SOL EM NATAL II



Que beleza indescritível
Em Natal, o por do sol!
Lá no Cidade Satélite,
Nas Rocas, lá no Atol
No alto do Mãe Luiza,
No morro ou lá no farol.

Um Céu rosa avermelhado,
Com nuvens chumbo, frisadas
Com linhas incandescentes
Como se fossem bordadas
Por luzes de ouro-prata
Finamente trabalhadas.

O sol, de longe, mirando
Esse mundo iluminado
Por seus raios, orgulhoso,
Vai, aos poucos, com cuidado,
Se escondendo e se cobrindo
Com o belo manto bordado.

Boquiaberta, observando
E admirando a beleza,
Fico eu. E vou pensando:
Não há, com toda certeza,
Uma beleza tão grande
Quanto a da Mãe Natureza.

E Deus nos deu de presente,
Sem nunca nada cobrar.
Temos que ter consciência
Disto, e sempre trabalhar
Pra que tão belo presente
Nunca venha a se acabar.

Natal/RN
16 de janeiro de 2010
(dentro do ônibus – linha 24
Às 17:48h)
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 06/12/2010
Alterado em 04/09/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.