Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


RIACHO DOS MEUS AMORES



Águas mansas, que seguem sempre em frente,
Vais levando contigo meus pensares
Quando, um dia, com o mar tu te encontrares
Conta-lhes tudo que me vai à mente.

Conta do amor que meu coração sente
E que, apesar de todos os pesares,
Ele está no mais alto dos pilares,
No altar-mor de um sonho permanente.

Vai, meu riacho, em meio ao capinzal,
Leva as lembranças que me fazem mal
Que me ficaram dos meus maus amores.

Leva-as ao mar, pois pode ser que o sal
Cure-lhes as mágoas de um amor-viral,
Tirando-lhes, de vez, os maus odores.



Rosa Regis

Natal/RN

Natal/RN – 02/11/2009
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 19/12/2010
Alterado em 04/09/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.