Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


CASAMENTO MATUTO
Para a Quadrilha
da Escola Municipal Almerinda - Natal-RN


CASAMENTO MATUTO
 
 

Apresentador
- Hoje é noite de São João,
O festão tá animado!
Tem canjica, tem pamonha,
Munguzá e milho assado;
Tem casamento matuto,
O noivo casa amarrado.


Noiva
- Avia Mané! Chegou
Nossa hora ispiciá.
Chega pra pertinho deu!
Tais cum medo de casá?


Noivo
- Pera aí Sabastiana!
Eu num tô cum medo não,
É qui a carça tá forgada
E aparecendo o carção


Pai da noiva
- Chega seu cabra de peia!
Tu tais querendo fugir.
Dispôs do siiviço feito
Tais quereno iscapulir?


Mãe da noiva
- Meu veio, tem paciença
Qui a nossa Sabastiana
Num pode tê aperrei,
Tá buchuda do sacana!


Dois policiais (falando ao mesmo tempo)
- Vamo dexá de fulia
E de tanto forofofó.
Senão esse casamento
Vai parar no xilindró.


Padre  (primeira fala)
- Tenha caima minha gente!
Os noivo venha pra cá!
O noivo juntim da noiva
Pro casóro eu celebrá.


Delegado
- O noivo se ponha queto!
Deixe de tanta agonia!
Ou casa ou vai pra cadeia!
Mexeu cum o que num divia!


Fofoqueira 1
– Minha cumade de Deus,
Tu num sabe da mió!
A noiva, a tá Bastiana,
Tá inganano o bocó!


- A barriga, minha fia,
Num é do seu noivo não!
É do fio de Maigarida,
Maigarida do Grotão.



Fofoqueira 2
- Minina, eu num acridito!
Mai, qui cabra abestaiado!
É mermo um “Mané das égua”!
Nem casou, já tá chifrado!

- E vai levá muito mai,
Essa tá de Bastiana
Num mi ingana mermo não.
Poi tem cara de sacana


Padre (segunda fala)

- Vamo Pará de fofoca
Que agora vai começá
O casamento. E dispôs
Nói vamo comemorá,
Comendo e dançando muito
Nessa noite de arraiá.


Celebrando  o casamento.

O padre
- Seu Mané da Quixabeira
É de seu gosto casá
Cum Sebastina Rego
Me diga, sem gaguejá.


O noivo
- Seu pade, eu num... num...
É qui... qui... qui... qui...

 
Pai da noiva
- Cuma é cabra, o qué isso?
O qui diabo é qui... qui... qui...

 
O noivo
É... é... Tá certo seu pade,
Eu me caso cum Tiana
Mermo que num passe junto
Cum ela, nem uma sumana!


Padre
- A noiva eu já sei qui qué
Nem pricisa preguntá.
Assim, abençoo os dói,
Pode sua noiva bejá.


Depois:
Apresentador
- Viva o noivo e viva a noiva!
E todos que aqui estão
Reunidos, festejando,
Com amor no coração,
Esta festa tão bonita
Dedicada a São João




Autoria:
Rosa Regis
Natal/RN - junho de 2011
Texto construído para a Quadrilha
da Escola Municipal Almerinda,
utilizado (com algumas alterações –
Celebrando o Casamento)
em junho de 2012
na Escola Estadual Winston Churchill


Rosa Regis
Natal/RN - junho de 2011
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 31/01/2012
Alterado em 19/06/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.