Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


ME ENROSCO EM TEUS LENÇÓIS
(Em resposta ao soneto de Fernando Cunha
Lima: LENÇÓIS DE VERSOS)
1º lugar na III Coletânea Século XXI
Da PoeArt Editora - 2012

 
 
Me enrosco em teus lençóis de poesia
E neles adormeço mansamente
E os novos sonhos que me vêm à mente
Afastam do meu peito a agonia
 
Que, longe dos lençóis, meu ser sentia
Por pensar, como pensa um ser carente,
Afastado de quem ama, e que se sente
Transido de saudade a cada dia.
 
E, de manso, da mente, aquela essência
Que me lembra o perfume da hortência,
Apossa-se, fazendo-me esquecer
 
A dor que me tomava a consciência
Fazendo, assim, de mim, por excelência,
Um ser feliz que veio a renascer.
 

 
Rosa Regis
Natal/RN - 26 de maio de 2010
 

 
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 29/04/2012
Alterado em 13/05/2012

Música: V SINFONIA - BETHOVEN

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.