Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


DEIXA QUE EU AME MÃE!


 
Quase sem dor, sem mais nenhum sofrer, (*)
Na noite fria senti a solidão,
O pulsar fraco do meu coração
Que já não luta. Para de doer.
 
Os meus pensares, loucos a correr,
Já não conseguem ter conexão,
Perdendo-se em meio à multidão
De devaneios, anulando o ser.
 
Não seria melhor que a dor viesse
E ao meu coração, sangrar fizesse,
Do que vê-lo sem dor, mas fraquejando?
 
À Virgem oro, suplicando em prece,
Mesmo não sendo um crente que merece,
Deixa que eu ame Mãe, mesmo chorando!
 
Rosa Regis
Natal/RN – 03.01.2014
00:10 (Zero hora e 10 minutos)
 
(*)( Verso de Fernando Cunha Lima – invertido)
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 03/01/2014
Alterado em 13/03/2014


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.