Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


O LIXO NAS RUAS TRAZ MALES À POPULAÇÃO
 
O lixo, ao longo dos anos,
Em todo o globo terrestre,
Seja no alto Sertão,
Seja no Monte Everest,
Cresceu e, junto com ele,
O problema que o reveste.
 
O seu volume varia
Tal como a composição
Dependendo do consumo
E métodos de produção,
Mas seu destino correto
É a grande preocupação.
 
Nos últimos trinta anos
A taxa de produção
De lixo sólido gerado
Tem direta ligação
Com os hábitos de consumo
De dada população.
 
Matéria orgânica disposta
De forma desordenada,
Apodrece e se transforma
Numa mistura pesada
Complexa que poderá
Ser da morte encarregada.
 
Um outro grande problema
É a contaminação
Dos rios, riachos, lagos,
Que se deve à migração
Do liquido percolado
Causador de infecção.
 
Sacolas plásticas, papéis,
Vidros jogados na rua
Onde a coleta não passa,
É onde o mosquito atua
E atinge sempre o mais fraco.
É a verdade nua e crua.
 
Resíduos acumulados,
Quando a chuva cai pesada,
Entope os escoamentos,
Deixa a rua enlameada,
Derruba as casas mais frágeis,
Causa transtorno e maçada.
 
Roedores proliferam
Nos esgotos da cidade
Onde o aumento do lixo
Traz para si, na verdade,
A proteção, o alimento,
E indestrutibilidade.
 
A solução do problema
Também depende de nós:
Rejeitando o que faz mal,
Agindo e soltando a voz
Mostrando o que está errado
Sem drama, sem quiproquós.
 
É de grande relevância
O assunto. Consciência
Tem-se que ter sobre isso
E agir com competência
Buscando o bem para todos
Com bom tino e com decência.
 
Às vezes uma açãozinha
Mostra colaboração:
Um papel, uma latinha
Vazia que trago à mão,
Não os jogando na rua,
Faz a diferenciação.
 
Pensando no bem-estar,
Em qualidade de vida
Pra nós e pros nossos filhos,
Da melhor forma devida,
Mudando o comportamento
A luta será vencida.
 
 
Rosa Regis
Natal/RN – abril de 2014
 

 
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 27/07/2014
Alterado em 02/01/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.