Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


 
FILOSOFIA ANTIGA
 
Os Pré-socráticos
Eles buscam descobrir,
Baseados na razão
E não na mitologia,
Verdadeira explicação
 
Da essência (em grego, arché),
Princípio fundamental
Existente em todo o ser
Como um SER ESSENCIAL.
 
 

Representantes:
 
Tales de Mileto (623-546 a.C.); Anaximandro de Mileto (610-547 a.C.); Anaxímenes de Mileto (588-524a.C.);Pitágoras de Samos (570-490a.C.);
Heráclito de Éfeso (?); Parmênides de Eléia (510-470 a.C.); Zenão de Eléia (488-430 a.C.);
Empédocles de Agrigento (490-430 a.C.);  Demócrito de Abdera (460-370 a.C.)

 
 ................................

Tales de Mileto
 
Tales nasceu em Mileto.
Foi ele considerado
O Pai da Filosofia.
Deixou-nos um bom legado.
 
Fugindo às explicações
Da Mitologia o tal
Diz: A água é o Elemento
Principal, primordial. 
 -O-

Anaximandro de Mileto
Anaximandro dizia:
É o apeíron, o infinito,
O que é indeterminado,
Quem origina o finito.
 -O-

Anaxímenes de Mileto
Anaxímenes diz,
Tentando conciliar
Tales e Anaximandro,
O principal é o ar.
 
 -O-
Pitágoras de Samos
 
Então Pitágoras de Samos
Afirma: O representante
Como princípio, é o número,
Com certeza! E assim por diante.
 
 :::::::::::::::::::::::::
 
PERÍODO CLÁSSICO OU GREGO ROMANO
O interesse no homem
E nas suas relações
Em sociedade são
Predominantes questões.
 
Assim como a metafísica
E o referente à moral,
Nesse período aparece
Como sendo essencial
 

Representantes:
Protágoras de Abdera (480-410 a.C.); Górgias de Leontini (487-380 a.C.); Sócrates de Atenas (469-399 a.C.); Platão de Atenas (427-347 a.C.); Aristóteles de Estagira (384-322 a.C.); Zenão de Cítio (336-263 a.C.);    Epicuro (342-271 a.C.).
 
Os sofistas
Sofista, quer dizer sábio.
Mas as críticas de Platão
Deram-lhes, de impostor,
A significação.
 
Passando conhecimentos
Que dizem: de utilidade,
Convencem com a palavra
Sem se importar com a verdade.
 
O que sabem, passam adiante,
Porém com a condição
De que lhes paguem por isso.
E lhes critica Platão.
 -O-

Protágoras de Abdera

O sofista dos sofistas
Foi Protágoras de Abdera,
O qual dizia que “o homem,
Medida de tudo, era.”
 -O-
 
Sócrates de Atenas
 
De início, considerado
Como um sofista também,
Veio depois demonstrar
Que seu pensar ia além.
 
Nas praças públicas passava
Todo o dia a discutir
Com os jovens, sobre o saber,
Levando-os a discernir,
 
Com seus próprios pensamentos,
Sempre a se questionar
E a descobrir a verdade,
Sem pelas aulas cobrar.
 
Criou o método: “a maiêutica”
E também a ironia,
Onde o questionamento
Uma nova luz acendia.
 
Porém seu método não dava
Respostas para as questões,
E questões novas surgiam
Sem definir conclusões.
 
Desta forma ele fazia
Que os jovens sempre buscassem
Mais e mais conhecimentos
Sem que com isso cansassem.
 -O-
 
Platão de Atenas
 
Sendo um aluno de Sócrates
Concebeu a teoria
Das ideias, onde busca,
Enfim, a sabedoria.
 
Para chegar-se à verdade,
À Luz da sabedoria,
O acesso é doloroso,
Nos causa dor e agonia.
 
É a saída das sombras,
Do mundo da aparência,
Onde a dialética dá
Acesso ao mundo da essência.
 
Passo a passo ele buscou
O caminho do saber,
Do conhecimento, em si,
E o seu desenvolver.
 
Além disso, ele acredita
Que o homem traz na lembrança
Saberes de outras vidas
Como verdadeira herança.
 -O-
 
Aristóteles de Estagira
 
Discípulo de Platão,
Para ele o primordial
Das ciências, é desvendar,
Dos seres, o essencial.
 
Sendo o criador da lógica
Ou seu pai considerado,
No raciocínio lógico
Esteve sempre entrosado.
 
Fala de potência e ato,
Do que está em movimento
Daquilo que é transitório
E novo a cada momento.
 
Uma semente, em potência,
Nela, uma árvore contém,
Basta que a mesma se plante
E o resultado se tem.
 
 ::::::::::::::::::
 
FILOSOFIA MEDIEVAL

A essência: é conciliar,
Em si, a fé com a razão.
Seria filosofia?
Uns dizem sim, outros não.
 
Poder-se-ia dizer
Corrente de opiniões,
Doutrinas e teorias:
Escolástica, sem senões.
 
Uma intuição primária
É o ponto de partida,
E o raciocínio lógico
Final da linha seguida.


Representantes:
São Justino (165 d.C.), Tertuliano (nasc.155 d.C.), Santo Agostinho (354-430), Santo Anselmo (1033-1109), Pedro Abelardo (1079-1142), Santo Tomás de Aquino (1221-1274), John Duns Scot (1270-1308) e Guilherme Ockham (1229-1350)
...............


Santo Agostinho

Santo Agostinho, que é,
De Platão, um seguidor,
Destaca-se no período
Como um grande pensador.
 
O conteúdo da Fé,
Ele procura entender
Utilizando a Razão
Pra melhor compreender.
 
Para Agostinho e Platão
É uma só a verdade,
Só transformada um pouquinho,
Com respeito à divindade.
 
Os modelos imutáveis
Ideais da criação
Divina, não são à parte,
Como afirmava Platão.
 
São ideias ou razões
Que estão na própria mente
Divina. Está na Bíblia.
Testemunho que não mente.
 -O-

São Tomaz de Aquino

Estabelece o equilíbrio
Com a máxima perfeição
Nas relações existentes
Entre a Fé e a Razão
 
As duas podem tratar
Com a mesma competência,
Do mesmo objeto, Deus,
Como O Princípio, a Essência.
 
Contudo a Filosofia
Usa a razão natural
Para falar da verdade,
Do que é tida como tal.
 
Enquanto a teologia
Usa uma outra razão:
A divina.  Manifestada,
Por fé, na Revelação.
 
Há distinção entre as duas
Mas não há oposição,
A razão humana expressa
A divina, com imperfeição.
 
Assim sendo, o conteúdo
Das verdades reveladas,
Não pode contrariar
As naturais acessadas.
 ::::::::::::::::::
 
FILOSOFIA MODERNA
 
Essência: desenvolvimento da mentalidade racionalista, cujos princípios opunham-se à autoridade secular da Igreja.
 
 
História da Filosofia: Uma Síntese
Sérgio Biagi Gregório

http://www.sergiobiagigregorio.com.br/filosofia/sintese-historia-filosofia.htm


Fico devendo a partir da Filosofia Moderna
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 14/12/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.