Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


LEMBRANÇAS TRISTES

Cinco anos..., sete anos...
Não lembro ao certo a idade!
Só lembro que foi maldade
Ficar na sala do rico
Isolada, sem um tico,
Sequer, de dignidade.
 
Aquela mulher bonita,
Com seu esposo de lado,
Na frente um prato enfeitado
Cheio de comida boa!
E aquela menina atoa...
Lá num cantinho isolado.
 
Sentiu-se tão pequenina...
Tão nada..., quase ninguém...
Incapaz de querer bem
A alguém que assim tratava
Um ser que necessitava,
Aquele que nada tem.
 
Acho que ela se enojava
Dos seus pezinhos bichados,
Seus cabelos cacheados
Lavados só com sabão,
Mas que tinha um coração
Que também se magoava.
 
Hoje, após sessenta anos,
Tal cena me veio à mente:
Vejo a menina inocente
Que fora tão preterida
Ser dita como querida
Por tanta gente decente!
 
Mas sinto por tal lembrança
Ainda ter o poder
De no fundo aparecer
Como algo que fez mal
E, assim sendo, como tal,
Não conseguir esquecer.
 
Rosa Regis
 
Natal/RN – 24/11/2016 – 11h e 30min
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 27/11/2016
Alterado em 27/11/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.