Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos

ARLETE (homenagem a uma amiga)

A R L E T E


Pequenina e atrevida...
Uma menina danada!
Não leva, consigo, mágua
Pois quando está zangada
Abre o verbo e manda ver
Fazendo transparecer
Que está mesmo zangada.

Dentro da sua razão,
Quando vê que alguém errou
Baixa a lenha... sem ter dó.
Se magoar, magoou!
Quem for podre que se quebre!
E quem errou, que requebre
Pra colar o que quebrou.

Mas é amiga de todos
Sem qualquer uma exceção
Está pronta a ajudar
Ao ateu e ao cristão,
Ao espírita cardecista,
Ao poeta, ao cordelista,
A quem escreve e a quem não.

Rosa Regis

Natal, 01 de dezembro de 2007
(De volta da reunião da SPVA)

Feliz Natal, minha amiga!
E que Deus te dê em dobro
Tudo que tu desejares!
Que o ano 2008
Te traga saúde e gosto,
Novo amor e bons manjares.

Da amiga e colega em poesia:
Rosa Ramos Regis da Silva
(Rosa Regis)
Natal/Rn – 21/de dezembro de 2007 -11:47h
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 22/12/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.