Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


   A CINDERELA SONHADORA
E O PRÍNCIPE QUE VIROU SAPO
 
 

Era uma cama de vara
e um candeeiro a gás feito de lata de óleo,
que fumaçava as narinas e avermelhava os olhos.

 
Ela lia a noite inteira, ou quase!
Às vezes, até de manhã!
Lia estórias em quadrinho, romances, Nosso Amiguinho...
num desejo..., num afã...
Ficava... assim... abismada...
Como se anestesiada com a beleza do galã.
 
Apaixonava-se, loucamente, pelo galã da estorinha!
Sempre sonhando acordada,
via-se então transformada numa bela princesinha
que pelo príncipe é levada no seu cavalo montada,
e transformada em rainha.
 
Assim...
Sonhando acordada...
cochila...
cai do cavalo onde se achava montada.
E o príncipe...
Agora um sapo...
vai-se, passando por cima da sonhadora menina,
deixando-a pisoteada.
 
As marcas...
Para sempre ficam!...
Marcas que refletem dor como marcas a ferro feitas!
As marcas do desamor.
 
A chama do candeeiro...
Apaga!
Sinal que o gás acabou.
 
A princesa não mais espera!
A esperança no amor... no príncipe...
já não existe.
Consigo, ele a levou.
 
Mas...
Um novo dia surge!...
E consigo traz, novamente, um raio de esperança
com a força do nascente que surge lá... no horizonte...
 
E uma nova semente
vai surgindo... vai surgindo...
naquele peito doente.
 
É a semente do AMOR...
Um amor bem diferente daquele do príncipe-sapo.
Pois, agora, é consciente!
Tem bases estruturadas, muito bem alicerçadas!
 
É o amor à Poesia
que a sua mente cria e enche-lhe o ser de alegria
 
E o príncipe, que virou sapo,
Ficou...
Perdeu-se na estrada.
 
 
Rosa Regis
 
Natal/RN – Brasil
07.07.2006 – 10:40
Refeita em 02.08.2015
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 14/03/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.