Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Áudios



TARDE CHUVOSA, PENSARES VADIOS...
Soneto contido no Livro CHEIRO DA TERRA
 
 
 
Uma tarde chuvosa trazendo preguiça
Meus pensares atiça, lembrando de alguém
De um passado longínquo que a mente detém
Num arquivo, guardado, que tem, por premissa,
 
Algum dia, quem sabe!... fazendo justiça
Ao meu core sofrido, que tanto quer bem,
Receber de presente, sem ferir ninguém,
O amor desprendido que o peito cobiça.
 
Mas a tarde cinzenta detém meu pensar
Que, maluco, soltou-se... sem brida e estribeira,
Numa doida carreira, sem querer parar,
 
Arrastando-o de volta de qualquer maneira!
Prendendo-o, guardando-o, para não se soltar
Outra vez, e sair por aí de bobeira.
 
 
 
 
Natal/RN, 04/07/2018
 
(na Biblioteca da E. E. de Ensino Médio
em tempo integral Winston Churchill)

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>


Meu querido amigo FERNANDO CUNHA LIMA 
Comentando meu soneto

 
ALTARES DAS LEMBRANÇAS
Comentando meu soneto
TARDE CHUVOSA, PENSARES VADIOS...
 
 
 
 
O coração em todos seus andares,
Guarda lembranças de amores tantos,
Deixando o peito pleno de quebrantos
E de saudades dos preliminares.
 
Quando prende o amor em seus altares,
Segue a lembrar de todos seus encantos
E caso então se encha de espantos,
Voltarão os sentidos regulares.
 
Cada lembrança que se faz guardada,
E em cada emoção que o peito invada,
Vai-se enchendo de angústia o coração.
 
O corpo inteiro então sente tristeza,
Que se ampara em uma só certeza,
Na qual espera a volta da paixão.
 
 
 
Fernando cunha lima
13/07/2021 16:59
Nas trilhas poéticas de Rosa Regis

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>



SE A POETA SONHA SER POETA



Quando a poeta se cobriu de sonhos,
E fez os sonhos serem seu lençol,
Se luz do sonho brilha como um sol,
A este seu sonhar me anteponho.

Quero vê-la sonhar, rosto risonho,
Sua entreaberta boca qual anzol,
Que fica úmida desde o arrebol,
Assim minha vontade eu transponho.

Mas se a poeta sonha em ser poeta,
Digo pra ela com a voz discreta,
Em cada seu desejo ponha fé.

Ao vê-la sonhar, mesmo acordada,
Tenho certeza que não falta nada,
Porque grande poeta ela já é.





Fernando cunha lima – 31-08-2021.
Em resposta ao comento da grande Cordelista
Rosa Regis.

>>>>>>>>>>>>>


A COMUNHÃO DOS MANJARES.
 
 

Quando se tornam vazios meus pensares,
Nem sem direito o que com eles faço,
Também ficam vazios meus abraços,
Recorro então a ti que me ampares.
 
Quero provar dos teus belos manjares,
Calado e sem nenhum estardalhaço,
Sei que devo guardar cada pedaço,
Daquilo que fizemos aos milhares.
 
Nosso amor subiu muitos andares,
E lá no alto quando me encontrares,
Vamos encher nosso peito de paixão.
 
Se meus pensares não fiquem vazios,
Essa minha vontade eu abrevio,
E trago para nós em comunhão.
 
 


Mais um Presentaço! do amigo sonetisa Fernando Cunha Lima, em 12 de outubro de 2021.

 
Para Rosa.
Fernando cunha lima – 12-10-2021.

 
Enviado por Rosa Regis em 26/05/2021




Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.