Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.
Rosa Regis Brincando com os Versos
Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Prêmios
Posso considerar como prêmio ver parte do meu cordel Chapeuzinho Vermelho editado em um livro editado pela Mackenzie para utilizar na primeira série do Ensino Fundamental
      Cordel selecionado (as sete primeiras estrofes) pela MACKENZIE para o Caderno de apoio da primeira série do Ensino Fundamental no ano de 2011.
[...]Às vezes uma açãozinha// Mostra colaboração:// Um papel, uma latinha// Vazia que trago à mão,// Não os jogando na rua,// A minha ação, como a sua,// Faz a diferenciação.///////// A sustentabilidade// Precisa ser praticada// Não só por um, mas por todos!// Onde, de forma engajada,// Precisamos entender// Dela, seu grande poder.// Torna-la nossa aliada.
Poesia que mostrou// a vida de Lampião// nascido lá no sertão// do Nordeste, e que enfrentou// o mundo que o renegou// com coragem e ousadia// matando por onde ia// a quem a ele enfrentava.// O Lampião que odiava// o mundo e amava Maria.//......... Poesia 1ª Colocada no XIV FESERP.... 12/01/2009 LAMPIÃO AINDA É VIVO NO CORAÇÃO DO NORDESTE//............. Sendo filho de José// E Maria, qual Jesus,// Uma diferente cruz,// Que não era a cruz da fé,// Leva o menino, que é// Fruto do nosso Nordeste.// E, assim sendo, de "peste"// Por muitos foi nomeado,// Sendo, portanto, odiado// E tido por cafajeste.//..... As brincadeiras da infância// Tinham a ver com o que via.// E à medida que crescia// Uma ou outra circunstância// Dentre muitas, traz a ânsia// De lutar com veemência// Por sua sobrevivência.// Assim, talvez revoltado,// Tenha, então, se transformado// Em um ser de violência.//..... Injustamente tratado// Pelos donos do poder,// Virgulino vê crescer,// Em si, raiva. E, revoltado,// Deixa o trabalho de lado.// E surge, então, no Sertão// O famoso Lampião// Mui respeitado e temido!// Odiado, mas querido// Por combater a opressão.//..... Mesmo não tendo a intenção,// Lampião subverteu// A ordem imposta. E se deu// Que quase todo o Sertão// Nordestino o "Capitão// Do Cangaço" dominou.// E novas vias traçou,// Movido pela descrença,// Com a sua forte presença// Por onde o mesmo passou.// (...)