Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos

INVALIDEZ TOTAL
Por Rosa Regis
Natal, 27/02/1999.


INVALIDEZ  TOTAL
(Velhice Precoce)

Eu ontem fui ao Doutor.
E sabem o que ele falou?
Que eu estava “ferrada”!
Velha, quebrada, engembrada.
Já não prestava p’ra nada!

- O que é isso Doutor?!

- É o que eu estou lhe dizendo!
- Pois pelo que eu estou vendo
Dos ossos se ouvem o som,
Que ao caminhar faz:“trom, trom”
E isto não é nada bom.
Com certeza! Estou sabendo.

A cabeça?! ... Nem pensa mais!
Pois disto está incapaz.
Devido a grandes traumas
Que lhe atingiram a alma,
Lhe tirando toda a calma,
A alegria e a paz.

Do estômago, nem se fala!
Pois o mau cheiro que exala
Já diz como ele está:
Duas úlceras, uma gastrite,
Hérnia hiatal, esofagite,...
Falta pouco p’ra parar.

O intestino é parado,
Ou quase, por congestão!
Prisão de ventre constante
Devido a má digestão
Que resulta de um estômago
Sem capacidade. Vão.

O útero e os ovários,
Coitados! Como sofreram!
Os problemas foram vários
Que eles sempre enfrentaram.
Só não fizeram tirá-los,
Mas vontade bem  tiveram.

E ao falar-se das pernas!
Puxa!... Nem é bom falar!
Dores de todos os lados,
Com sons de ossos quebrados,
É um TRAC, TRAC danado!
Quase incapaz de andar.

Chegando aos pés... vejamos...
Que triste decepção!
As unhas cheias de fungos,
E o calcanhar, de rachão.
E além dos fungos, encravada
É a unha do dedão.

Dos braços, o cotovelo...
Nem precisa se falar!
Pois de longe, sem nem vê-los
Já se ouve o estalar!
Basta forçar um pouquinho,
Parece que vai quebrar.

Das mãos?... Os dedos não dobram!
Por mais que tente, não dá.
Forçar já não adianta
Pois só irá machucar.
As juntas estão mesmo duras.
É a velhice a chegar.

A pele toda manchada;
Flácida;  feia;  enrugada.
Faz lembrar a mocidade
Lá... na mais tenra idade!
E isto me trás saudades
do que fui. Hoje?... Nada!

Pois agora, o que sou?!...

Só pele enrugada e osso.
Dores por todos os ossos
Dos pés até o pescoço.
Nada funciona bem;
De perfeito nada tem;
Nada está “com”, tudo “sem”...
P’ra século sem fim, amém.
Cheguei ao fim.  Tô no fosso.

      
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 15/05/2006
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.