Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


PRÊMIO COSERN
DE LITERATURA DE CORDEL

(discurso em décimas de sete pés
no dia 08.08.2009, na Cidade de Mossoró
ao receber o prêmio)


Meus queridos cordelistas
Do Rio Grande do Norte
Com quem tive a feliz sorte
De concorrer, meus artistas
Que, com rima, alegra as vistas
E os ouvidos do amante
Da poesia e garante
À Cultura Popular
Rimando, a metrificar,
Saber, em verso cantante;

À COSERN que garante,
Com seu apoio ao cordel,
Representar seu papel
Sendo da cultura amante
E que afirma: doravante,
Não deixará de ajudar
A Cultura Popular
Pois que esta atinge o povão
Sensível e de coração
Sempre aberto ao seu cantar;

Não poderia esquecer
Os poetas julgadores
Que são, no cordel, doutores
E que fazem por merecer
Serem tais a escolher,
Ou seja, classificar
O cordel que vai levar
O prêmio Coserniano
Ao vencedor deste ano
E que eu, aqui, vim buscar.

AO amigo Antônio Francisco
Que é meu pai na poesia
E que hoje tenho a alegria
De tê-lo ao meu lado. E arrisco
A lhe dizer que eu cisco
Mas não consigo chegar
Aos seus pés, podem apostar!
Esta, eu ganhei por acaso.
Pois ele é mesmo um arraso!
O cara é bom de lascar!

A Helder, meu grande amigo,
Que é Diretor de Cultura
Da COSERN. Alma pura.
Sei muito bem o que digo!
Falando dele, prossigo:
Fomos colegas de Empresa.
Para mim não é surpresa
Que ele aqui tenha chegado.
Quem trabalha com cuidado
Vence, com toda certeza.

Autoridades que vêm
Aqui pra prestigiar
A Cultura Popular,
Eu agradeço a quem tem
Boa vontade e mantém
Seu pensamento voltado
À cultura do Estado.
E a todos parabenizo
Por terem em si o bom siso.
Meu muito, muito obrigado!

Rosa Regis

Natal/RN – 07 de agosto de 2009
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 27/09/2009
Alterado em 26/02/2017


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.