Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


A CACIMBA DA SINHÁ NEDINA



A casinha de palha que a cacimba cobria
Era a proteção para as belas meninas
Que, ali, lavavam suas roupas mais finas
Para as festas de maio, a cantar de euforia.

Também era o local que o namoro encobria
Daquelas garotas que usavam boninas
No cabelo, sonhando que, agarrado às crinas
De um cavalo branco, um príncipe viria

Levá-las dali para um reino encantado.
Era o "canto dos sonhos" que lhes fora dado
Ou do qual se apossaram, ao seu modo - ao seu jeito,

Para, ali, sonharem, do mundo afastadas,
A pensar na vida como um conto de fadas
E nos olhos cinzentos de um belo sujeito.




Rosa Regis

Natal/RN
03 de fevereiro de 2010
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 04/02/2010
Alterado em 06/04/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.