Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


MEU GATINHO MOURISCO

MEU GATINHO MOURISCO

Já não ouço seu miado;
seu pedido de carinho;
o seu olhar dedicado;
seu ronronar delicado,
esfregando-se de mansinho.

Sua voz emudeceu
não mais à porta chamou.
Sumiu. Desapareceu!
E o meu ser se confrangeu,
pensando: Alguém o matou!

E tentando enganar-me,
fico a mim mesma, dizendo:
- Calma!... Ele vai voltar!
Deve estar a namorar,
o tempo não percebendo.

Mas... O tempo passa... passa...
E fico desesperada!

E mais um dia se passa.

... De repente!... Ouço um miado
bem alto! Desesperado!
E sinto-me relaxada...

É o meu gatinho!... Safado!!

Ele chega!... E está com fome.
Uma fome de leão!
Depois de passar três dias
sem nem dar satisfação.

Tão somente namorando.

E só agora chegando
E exigindo ração.



Rosa Regis

Natal/RN - Julho de 2002
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 25/09/2010
Alterado em 16/11/2014


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.