Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos

L O L A (recordações saudosas de um pai muito amado)

L O L A

Por Rosa Regis
Natal/RN - julho/1999

O meu pai me apelidou
de Lola, e assim me chamava
quando estava satisfeito
de como me comportava.

Me convidava a sair
e com ele passear.
E eu sempre queria ir
pra qualquer que fosse o lugar.

E isso me deixou marcas
muito boas! com certeza.
Pois foram marcas de amor
que só transmitem beleza.

Ele me contava histórias
de faz de conta... Era uma vez...
E nos jogos de palavras
usava a sensatez.

E eu lhe pedia: - Pai!
conta uma história p’ra mim
daquelas bem boa, vai!
E ele contava, sim.

Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 24/10/2006
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.