Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos

SORDADE DO JERIMUM

SORDADE DO JERIMUM
(Poesia matuta)

Aquilo é qu'é terra boa!
A gente lá nunca soa
Poi lá nunca fai calô:
A terra é sempre fresquinha,
As foia sempre verdhinha.
Tô mintindo não sinhô!

O povo lá num tem boça
Pois véve tudo na roça
Do trabáio na inxada.
Todo mundo acodha cedo,
Tomo um cafezim no dedo
E pega logo a istrada.

Rosa Regis

Natal/RN - Setembro de 2006.
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 02/12/2006
Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.