Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


CASAMENTO MATUTO
Para a Quadrilha
da Escola Municipal Almerinda - Natal-RN


CASAMENTO MATUTO
 
 

Apresentador
- Hoje é noite de São João,
O festão tá animado!
Tem canjica, tem pamonha,
Munguzá e milho assado;
Tem casamento matuto,
O noivo casa amarrado.


Noiva
- Avia Mané! Chegou
Nossa hora ispiciá.
Chega pra pertinho deu!
Tais cum medo de casá?


Noivo
- Pera aí Sabastiana!
Eu num tô cum medo não,
É qui a carça tá forgada
E aparecendo o carção


Pai da noiva
- Chega seu cabra de peia!
Tu tais querendo fugir.
Dispôs do siiviço feito
Tais quereno iscapulir?


Mãe da noiva
- Meu veio, tem paciença
Qui a nossa Sabastiana
Num pode tê aperrei,
Tá buchuda do sacana!


Dois policiais (falando ao mesmo tempo)
- Vamo dexá de fulia
E de tanto forofofó.
Senão esse casamento
Vai parar no xilindró.


Padre  (primeira fala)
- Tenha caima minha gente!
Os noivo venha pra cá!
O noivo juntim da noiva
Pro casóro eu celebrá.


Delegado
- O noivo se ponha queto!
Deixe de tanta agonia!
Ou casa ou vai pra cadeia!
Mexeu cum o que num divia!


Fofoqueira 1
– Minha cumade de Deus,
Tu num sabe da mió!
A noiva, a tá Bastiana,
Tá inganano o bocó!


- A barriga, minha fia,
Num é do seu noivo não!
É do fio de Maigarida,
Maigarida do Grotão.



Fofoqueira 2
- Minina, eu num acridito!
Mai, qui cabra abestaiado!
É mermo um “Mané das égua”!
Nem casou, já tá chifrado!

- E vai levá muito mai,
Essa tá de Bastiana
Num mi ingana mermo não.
Poi tem cara de sacana


Padre (segunda fala)

- Vamo Pará de fofoca
Que agora vai começá
O casamento. E dispôs
Nói vamo comemorá,
Comendo e dançando muito
Nessa noite de arraiá.


Celebrando  o casamento.

O padre
- Seu Mané da Quixabeira
É de seu gosto casá
Cum Sebastina Rego
Me diga, sem gaguejá.


O noivo
- Seu pade, eu num... num...
É qui... qui... qui... qui...

 
Pai da noiva
- Cuma é cabra, o qué isso?
O qui diabo é qui... qui... qui...

 
O noivo
É... é... Tá certo seu pade,
Eu me caso cum Tiana
Mermo que num passe junto
Cum ela, nem uma sumana!


Padre
- A noiva eu já sei qui qué
Nem pricisa preguntá.
Assim, abençoo os dói,
Pode sua noiva bejá.


Depois:
Apresentador
- Viva o noivo e viva a noiva!
E todos que aqui estão
Reunidos, festejando,
Com amor no coração,
Esta festa tão bonita
Dedicada a São João




Autoria:
Rosa Regis
Natal/RN - junho de 2011
Texto construído para a Quadrilha
da Escola Municipal Almerinda,
utilizado (com algumas alterações –
Celebrando o Casamento)
em junho de 2012
na Escola Estadual Winston Churchill


Rosa Regis
Natal/RN - junho de 2011
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 31/01/2012
Alterado em 19/06/2018


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.