Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


ME ENROSCO EM TEUS LENÇÓIS
(Em resposta ao soneto de Fernando Cunha
Lima: LENÇÓIS DE VERSOS)
1º lugar na III Coletânea Século XXI
Da PoeArt Editora - 2012

 
 
Me enrosco em teus lençóis de poesia
E neles adormeço mansamente
E os novos sonhos que me vêm à mente
Afastam do meu peito a agonia
 
Que, longe dos lençóis, meu ser sentia
Por pensar, como pensa um ser carente,
Afastado de quem ama, e que se sente
Transido de saudade a cada dia.
 
E, de manso, da mente, aquela essência
Que me lembra o perfume da hortência,
Apossa-se, fazendo-me esquecer
 
A dor que me tomava a consciência
Fazendo, assim, de mim, por excelência,
Um ser feliz que veio a renascer.
 

 
Rosa Regis
Natal/RN - 26 de maio de 2010
 

 
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 29/04/2012
Alterado em 13/05/2012


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.