Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


CAMPO BELO - A FAZENDA LITERÁRIA DO TIO GERALDO

Foi com grande prazer que recebi o convite do meu colega cordelista Geraldo Ribeiro Tavares para fazer uma digressão sobre seu belíssimo trabalho em Cordel CAMPO BELO – A FAZENDA LITERÁRIA DO TIO GERALDO, um dos tantos que compõe este belo livro.  Logo, de cara, já fui perguntando se poderia escrever minha apresentação também em versos rimados, ao que ele, assim como quem não quer e querendo, titubeou um pouco, mas logo assentiu.  Eu que não sou boba nem nada, o peguei na palavra!
 
Geraldo nos apresenta
Usando a imaginação,
Quão belo é o pensamento
Quando o mesmo entra em ação.
Seu jeito de versejar
Prendeu a minha atenção.
 
Com seu jogo de palavras
Ele vem nos ofertar
As lembranças que não morrem,
Fazendo-nos relembrar
Nosso tempo de criança
E o quanto é bom sonhar.
 
Na FAZENDA CAMPO BELO
Tudo pode acontecer;
O que for bom e for belo
Ali você pode ver.
É criação do Geraldo
Cujos versos fez valer.
 
Ali tem pássaros livres,
Tem flores, tem animais,
Tem livros, filmes, saraus,
Mel de abelha; tem currais,
Tem amor pra todo mundo,
Amizade, e muito mais!
 
Tudo que eu pudesse dizer seria pouco para classificar um trabalho como este do meu querido colega Geraldo, no que se refere à qualidade do mesmo. Um trabalho que faz que voltemos às nossas origens relembrando tudo de bom que a Natureza pode nos ofertar se aproveitarmos dela de forma consciente, bem como o que o amor pelo Conhecimento, de uma forma geral, pode nos trazer de bom no presente e no futuro.

Que o Senhor Deus te abençoe Geraldo, para que possas continuar escrevendo bons e belos textos, satisfazendo àqueles que amam a boa leitura.

 
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 03/04/2020
Alterado em 03/04/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.