Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos


Nascida na Paraíba,
Cedo de lá eu parti
E em Natal eu me vi
Vivendo na pindaíba,
Os cabelos de guariba...
Mas nada faz que eu debande,
Meu horizonte se expande
Pois a terra me acolheu,
Com amor me recebeu.
Sou cria do Rio Grande.
 

Eu nasci no Jerimum,
Porém dali saí  cedo,
Não por precisão ou medo,
Fofoca, briga ou zumzum,
Mas por motivo comum.
Hoje, onde quer que eu ande,
Se alguém não quer que eu desande,
Não diga que sou "biriba".
Nascida na Paraíba,
Sou cria do Rio Grande.



Mote:  Marcos Medeiros
Glosa: Rosa Regis

Natal/RN - Brasil
s/data

>>>>>>>>>>>>>>


A Rosa da minha terra 
Tem o coração bem grande, 
Qual bom cabrito, não berra, 
Tem também sangue nas guerras, 
Lá é grande o jerimum, 
Seu coração faz tum tum, 
E pula igual guariba,
Fazer voltar, ninguém mande, 
Nascida na Paraíba, 
É cria do Rio Grande. 



Rosa amiga e cordelista maior, Somente para te saudar, porque não é minha praia, bjs. Nem se compara.
fernando cunha lima.
Rosa Regis
Enviado por Rosa Regis em 15/06/2020
Alterado em 20/06/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.