Sem noção de amor fraterno// O homem agride o irmão,// Num ato que mostra o inferno// Que trás em seu coração.

Rosa Regis Brincando com os Versos

Pensares que se transformam //espalhando poesia, //pegam carona no vento// enchem meu ser de alegria

Textos



O sol se banha no mar
Bem cedo, de manhanzinha
Quando o canto da andorinha
Vem a mata despertar,
Com seus raios a dourar
As espumas de cambraia
Rebordadas por Mãe Gaia.
Lembrando artista no estúdio,
Esse banho é um interlúdio
Pra depois beijar a praia.

Eu penso a imensidão
Do mar com sua beleza
E a nossa mãe Natureza
Em toda sua amplidão,
O que dá-me inspiração
E põe-me já de tocaia
Como carinhosa aia,
Só para presenciar
O sol se banhar no mar
Pra depois beijar a praia.




Mote:  Marcos Medeiros
Glosa:  Rosa Regis 

Natal/RN - Brasil
s/data

 
 
>>>>>>>>>


O só pruriba das onda /
Pexe navega prubaxo /
Tubarão é pexe macho /
Bom mermo é no microonda /
Compre i amarra uma ronda /
Pa levá rabo di saia /
Siri deu rabo di arraia /
Na tá baleia jubar /
"O SOL SE BANHA DO MAR /
PRA DEPOIS BEIJAR A PRAIA!"


20/06/2020 08:33 - Zé Roberto


 
>>>>>>>>>>>>>


Quem recebe um comentário
De tamanha qualidade
Fica mesmo é com vontade
De fazer, de modo vário,
Não um poema solitário,
Mas muitos e variados
Nos temas e rebordados
De forma sentimental.
Pois quase me acho "A TAL!"
Pelos versos cá deixados.


Rosa Regis
Natal/RN-Brasil
20.06.2020 - 21:07

 
Rosa Regis, Marcos Medeiros e Zé Roberto
Enviado por Rosa Regis em 19/06/2020
Alterado em 20/06/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Parei em mim, matutando// O que é certo ou errado// E acabei esnobando// Que estava ali ao meu lado.